Psicológico

A obesidade tem múltiplas causas e seu tratamento é mais efetivo quando realizado por uma equipe multiprofissional. Além dos fatores clínicos, aspectos psicológicos também contribuem para o comer excessivo e o aumento de peso. Muitas pessoas que se esforçam para emagrecer tem dificuldades para identificar quando estão comendo por fome fisiológica ou por uma necessidade afetiva. Tal distinção é importante pois permite tomar e manter decisões acertadas sobre a alimentação diária e, consequentemente, emagrecer de forma saudável.

E quais são as diferenças? Geralmente a fome provoca uma sensação de vazio no estomago, acompanhada por ruídos e, após a ingestão de alimentos, o desconforto físico desaparece. A necessidade afetiva,entretanto, pode nos levar a comer repetidamente, mesmo que tenhamos comido há pouco tempo. E o pior:com frequência, a sensação desagradável de vazio ou “buraco no estômago” permanece. É um comer guiado por estímulos externos (ambientais e sociais) e internos (mentais e emocionais) inadequados. Sentimentos como raiva, tristeza, ansiedade, frustração ou aborrecimento podem incitar o comer em busca de conforto ou distração. E diante da alegria, podemos pensar que, caso a alimentação seja diminuída, tais sentimentos desaparecerão. Assim, continuamos comendo para manter o prazer por mais tempo.

Se a pessoa obesa puder identificar os estímulos que provocam pensamentos e atitudes que sabotam sua reeducação alimentar e diminuem sua autoestima, poderá buscar meios mais adequados para enfrentá-los.

Propomos um atendimento amplo, onde haverá espaço para compreensão de todos esses aspectos , visando a incorporação de mudanças que tragam resultados duradouros.

São realizados atendimentos individuais e encontros em grupo que visam assessorar a compreensão dos vários aspectos ligados ao ganho de peso, estimulando e motivando cada um em direção às mudanças necessárias. Contamos com diversos profissionais que possuem experiência em orientar para a melhora do estilo de vida.